top of page

BAIRROS DE MANAUS | GAITANO ANTONACCIO

LIVROS & ESCRITORES

BAIRRO DOS EDUCANDOS


Quando terminou a Segunda Guerra Mundial, na década de 1940, foram muitos os nordestinos que estando em Manaus provocaram algumas invasões em diversos bairros de Manaus. Na formação inicial do bairro do Educandos, esse processo recebeu um grande número de nordestinos que passaram a ocupar um grande barracão localizado na Ponta Pelada, Zona Sul da cidade, com limitações abrangendo a faixa dos bairros de Santa Luzia, Colônia Oliveira Machado, Igarapé dos Educandos e a margem direita do Rio Negro.


Os que não conseguiam abrigo no barracão se fixavam ao longo da estrada de Constantinópolis, uma artéria construída desde 1928, quando os membros da Sociedade Esportiva Beneficente de Constantinópolis, apenas com o uso de facões, terçados, enxadas e outras ferramentas construíram o logradouro. Essa avenida tem hoje o nome do deputado Leopoldo Péres, começando no lugar conhecido antes como “Baixa da Égua”, indo até a Boca do Emboca, onde hoje fica a via de acesso ao bairro de Santa Luzia.


O nome Educandos teve origem em homenagem ao Colégio fundado no bairro com o nome de Educandos Artífices uma das primeiras edificações do local. E a urbanização teve início no governo do coronel Silvério José Nery, quando, em 1901, determinou a abertura de meia dúzia de ruas com os nomes de Norte-Sul 1, 2 e 3 e Leste-Oeste 1, 2 e 3, as quais foram traçadas da mesma forma que as outras já existentes em governos anteriores.


Mas a história do bairro remonta, em verdade, aos meados do século 19, quando era presidente da Província do Amazonas o senador João Pedro Dias Vieira, entre os anos de 1856 e 1857. O presidente publicou a Lei nº 60, em 21 de agosto de 1856, criando o Estabelecimento dos Educandos Artífices, com o objetivo de manter cursos profissionalizantes, procedimento que se desencadeou no Brasil, de Norte a Sul.


Naquele tempo, Manaus contava com pouco mais de 4000 habitantes e a Escola começou a funcionar no local onde havia uma olaria da província. Essa olaria ficava às margens do Igarapé do Educandos que, na época, era chamado de Igarapé da Cachoeirinha. (...)


BIBLIOTECA RAIMUNDO COLARES RIBEIRO

Transcrito do livro BAIRROS DE MANAUS, de Gaitano Antonaccio, Editora Diário Oficial do Estado do Amazonas, Manaus (AM), 2018, páginas 117 e 118.

Comments


bottom of page